15 de nov de 2008

Brasil é o menor pirata do Bric. Uma alusão ao software livre


Uma coisa surpreendente que li no Caderno de Informática da Folha (aqui), diz que o Brasil tem o menor índice de pirataria de software do grupo Bric (Brasil, Russia, India e China) sendo 59% para o Brasil e 82% pra China. Inclusive, a matéria sita que o índice do Bric subiu de 35% para 38% e o do Brasil permaneceu o mesmo (alto para um país, porém menor em relação ao Bric).
Mas o que será que está por trás deste índice que, apesar de alto, mostra que estamos indo pelo caminho certo?

Acredito que o Brasil é um dos países que mais incetive o software livre e também, segundo estudo do instituto de presquisas britânico Economist Intelligence Unit, o Brasil é primeiro no ranking dos emergentes em TI. haja visto que o país investe em formação de profissionais da área (alguns podem dizer que isso é uma grande piada, mas eu acredito).
Nosso país também investe pesado no software livre, haja visto que o governo federal trocou a Microsoft do tio Bill, para softwares livres.

Mesmo nos tempos de faculdade (que não faz tanto assim), podia observar que 7 em10 colegas de classe adoravam Linux e software livre e isso me deixou bastante curioso para conhecer novos aplicativos e, atualmente, prefiro que meus computadores tenham aplicativos open source (utilizo open office, mozilla firefox e thunderbird, além de aplicativos substitutos ao ms project e visio, que são muito úteis no dia-a-dia).

Aliás, tá aí o Google Apps que não me deixa mentir sozinho. Milhares de empresa se utilizam do pacote da gigante Google como administrador de e-mail, agenda e em substituição a editores de texto e planilhas eletrônicas. É claro que existe um pacote profissional em que se paga U$ 50,00 por usuário ao ano, mas isso, em detrimento ao que pode ser utilizado pela empresa é irrisório para uma empresa de médio e grande porte. Além do mais, acredito que o uso gratuíto do pacote é muito bom para pequenas empresas com até 50 funcionários. Aliás, logo mais postarei sobre meu projeto de TI para duas ONG´s da qual faço parte que inclusive, pretendo utilizar-me do Google Apps.

E viva o software Livre!

28 de out de 2008

Coisa Impossível no Brasil


Coisa impossível de acontecer no Brasil: a empresa de TV a Cabo americana Comcast resolveu utilizar uma tática diferente para manter seus clientes: rastreamento de reclamações em blogs alheios.
Segundo matéria da Associeted Press - Filadélfia, publicada no Caderno de Informática do Folha Online, a empresa rastrea reclamações postadas em blogs, youtube, twitter e demais serviços online, resolve o problema e garante assim a "satisfação" de seus clientes.
A pergunta que não quer calar: será que algum dia isso pode acontecer no Brasil? Eu acho difícil pacas...

27 de out de 2008

Twitter: Arma para terroristas?


Ultimamente não acredito em mais nada que venha do governo Americano. Aliás, isso já faz um tempo.

A última pérola que saiu hoje no Folha Online (aqui) é que a sensacional ferramenta de microblog foi considerada pelo exército dos EUA como potencial ferramenta para terroristas. Segundo o tal relatório "aponta cenários em que militantes poderiam usar o Twitter, em conjunto com o Google Maps e fotos e vídeos feitos por celular, para empreender uma emboscada ou detonar explosivos.".

Santa ignorância, Batman!!! Só esqueceram de avisar para tal órgão que desde que Antonio Menucci inventou o telefone - sim, foi ele que inventou e não Graham Bell, como dizem os Americanos, assim como quem inventou o avião foi Santos Dummont e não os irmãos Wright, como eles também o dizem - tal criação também é uma arma em potencial para os terroristas e, em se tratando de ferramentas em potencial, poderíamos ficar aqui falando sobre ferramentas em potencial o dia inteiro.

Agora minha preocupação é com uma possível invesão nos escritórios da Obvious Corp. em busca de ferramentas de destruição em massa!! (cara de espanto!!!).

Ah, para quem quiser conhecer um pouco mais sobre a twitter, leia aqui (em português, ufa!)

Uma matéria me chamou atenção hoje no Folha Online - Informática, sobre um projeto das oficinas gratuitas de robótica em São Paulo, que são desenvolvidas pelo Acessa SP e pela WebLab Social.

Já postei aqui algumas vezes a preocupação que tenho sobre o lixo eletrônico e suas discussões, porém essa idéia é uma luz que pode gerar muitos frutos.

Vale a pena conferir aqui.

25 de out de 2008

Nada de novo




É tão estranho ficar tanto tempo sem blogar...
Mais estranho ainda é voltar e ver que o mesmo sempre esteve aqui, apesar de tantas pessoas virem aqui se deparar sempre com o mesmo.
Aliás, a mesma coisa aconteceu com um outro blog que tenho, sobre meu tratamento de hemangioma (http://hemangioma.zip.net)... são quase 10 mil visitas e faz bem mais de um ano que não posto nada por lá.
Falar sobre tecnologia é fácil, pois a cada dia existe uma novidade, algo novo que surge em decorrência da grande concorrênncia no mercado - se o Google lança um programa, a Microsoft, com dor de cotovelo lança outro semelhante e assim vai a vida nesse desenvolvimento monstro de tudo que se pode fazer e se complicar cada vez mais...

22 de mai de 2008

Vigiados!


Na aula de Estratégia de Comercialização da minha pós-graduação, tivemos uma discussão sobre as possibilidades que o futuro nos reserva em termos de tecnologia da informação.
Uma das possibilidades levantadas pelo Prof. Walter Ruiz Jr. foi a da tecnologia dos celulares (compras, pagamentos entre outros). O exemplo foi o de estarmos chegando num shopping qualquer e, um sistema de qualquer loja perceber e nos mandar um SMS para aproveitarmos uma certa promoção da loja.

Pensei um pouco e me lembrei justamente do filme "Inimigo do Estado", quando por acidente uma pessoa grava o assassinato de um congressista... Daí quem viu o filme sabe da história e quem não viu deve assistir.

A questão é, até que ponto temos ou teremos privacidade no mundo? Será que já não somos vigiados pelo Estado?

20 de fev de 2008

Erro Fatal no SP1 do Vista


Parece piada, mas não é: uma fala no SP1 do Vista fez com que a Microsoft suspendesse a atualização automática para os usuários. (Leia aqui)

O mais interessante disso tudo é que quando a atualização era instalada, o micro reinicializava infinitamente... lembra daquela tela "Ocorreu um erro fatal.seu sistema deve ser reiniciado"? Pois é, neste caso o erro fatal era um loop permantente!

É, tio Bill, o tempo passa, o tempo voa, mas os paus no windows continua numa boa!!!

Microsoft: O tiro saiu pela culatra

Por essa a Microsoft não esperava ou, se esperava, não era pra tanto.

Após processar o professor Alexander Ponosov pelo uso de software pirata, a empresa do Tio Bill está sendo ovacionada pelos russos, o que já não é lá grande novidade aqui no Brasil.

O tal professor lançou uma campanha contra as grandes empresas de software (leia aqui) que dominam o globo e, entre elas não poderia deixar de estar a Microsoft.

Tal campanha é aprovada pelo presidente russo Vladimir Putin e pelo ex líder soviético Mikhail Gorbachev.

Já aqui na terra de Cabral, as coisas aconteceram a muito mais tempo e teve grande apoio do governo federal (leia-se Lula), principalmente na substituição das licenças do governo pelas de open source.

Eu, particularmente, só ainda não troquei o ruwindos, porque não estou familiarizado, porém os pacotes como office e outros aplicativos foram todos substituídos pelas versões open source.

Cá pra nós, eu apoio o professor Ponosov.

19 de fev de 2008

Brasil no Top 5 de Computadores


Essa notícia chegou hoje: Brasil é o quinto maior mercado do mundo em venda de computadores, durante o ano de 2007, com crescimento de quase 38% em relação a 2006. (Leia aqui)

Ficamos atrás dos EUA, com venda acima de 64 milhões de unidades, China com 36 milhões, Japão com 17 milhões, Reino Unido com 13 milhões e o Brasil com 11 milhões.

E olha que passamos muitos países de 1° mundo como Alemanha e França!

Bom saber que a Inclusão Digital está no caminho certo.

18 de fev de 2008

James Bond às avessas

Notícia da semana passada: Laptop e HD externo com dados de pesquisas da Petrobras foram roubados durante transporte (aqui).
Agora a pergunta que não quer calar: seria o caso de termos um agente secreto boliviano, a mando de Evo Morales, infiltrado na Petrobrás para "roubar" informações sigilosas? Ou seria uma organização criminosa no estílo "Spectre", para roubar tais informações e vender no mercado negro?
Segundo fontes da Polícia Federal brasileira, tais aparelhos foram furtos comuns... será? E onde estará a ABIN numa hora dessas? Tal notebook deveria ter uma proteção extra, estar amarrado em algum lugar... aliás, nem deveria estar lá.
Pior de tudo é que esta não é a primeira vez - dados importantes já foram furtados anteriormente. Desde que descobriam locais no Brasil que possivelmente tenha petróle (cerca de um ano atrás) foram percebido furtos de notebooks de funcionários da Petrobrás. Conforme informação do portal IG, segundo o diretor da Aepet Pedro Carvalho:
"os furtos nas residências e o caso do final de janeiro levam a crer em uma ação coordenada para a obtenção de informações. “O preço do barril de petróleo já chegou a US$ 100 e a tendência é continuar subindo, pois o consumo está cada vez maior. Com as novas descobertas, o Brasil passa a ser um dos maiores detentores de petróleo e isso é motivo de cobiça de outros países. É uma questão de segurança nacional”.
Isto é um trabalho para Bond. James Bond!

16 de fev de 2008

"Que seja feita à nossa imagem e semelhança"


É interessante ver como a ficção está cada vez mais perto da realidade.
Em matéria da France Presse, puplicada pelo site da Folha de S. Paulo (aqui), é feito uma abordagem sobre a possibilidade de humanos e robôs fazerem sexo ainda neste século.

Assim que li essa matéria, me surgiu na memória o filme estrelado por Robin Williams "O Homem Bicentenário" de 1999, que conta a história de uma família que compra um "utensílio doméstico" para tarefas da casa, um robô, que com o tempo vai adquirindo percepções humanas... quem não viu, vale a pena.

Mas é interessante ver a discussão sobre algo que num futuro próximo poderá ser real, quando que em 15 ou 20 anos atrás seria apenas ficção... não que um robô venha se tornar um quase humano, como sugere o filme, mas a sensação de fazer algo à imagem e semelhança dos humanos. É quase que "brincar de Deus".

14 de fev de 2008

Money, get away



Fico imaginando o que poderia ser feito com U$ 44,6 bilhões...

Saiu em todas as mídias do mundo que no primeiro dia deste mês carnavalesco, a empresa do tio Bill, em resposta à forte concorrência da Google, Inc., ofereceu para a Yahoo! uma proposta de compra no valor de U$ 44,6 bilhões.

É interessante analisar essas cifras e ver que a 20 anos atrás quase ninguém conseguiria imaginar que empresas de tecnologia teriam essas grandes cifras, desbancando empresas centenárias que por aí vagam.

Outro dia li uma matéria no jornal, sobre uma farmácia localizada a mais de 50 anos em um bairro nobre de São Paulo que, naquele dia, estava encerrando suas operações. O dono cedeu pela forte concorrência de redes de farmácias que, com muito menos tempo de vida, conseguiram crescer e se fortalecer, porém, o tal comerciante ficou a vida toda na mesmíce, não se atualizando e muito menos observando as tendências do mercado.

Em 1990 participei da 2a Fenasoft onde estavam presentes grandes empresas na área de TI como a IBM, estande do qual participei como funcionário da falida Intersystems, que na época desenvolvia software em plataforma Unix/Mumps. Em pouco mais de 17 anos, o que se vê hoje era impossível imaginar naquela época onde a IBM começava a investir em software e seu forte era o hardware. Atualmente o forte da IBM é software e a divisão de hardware foi vendida para a chinesa Lenovo.

Em 1994, dois amigos de dentro de um quarto de uma universidade criaram o Yahoo! Quatro anos após, da mesma forma "dois amigos de dentro de uma universidade..." surgiu o Google. Porém, quando o Google surgiu, o Yahoo! já era uma grande empresa, mas o mais interessante é que que, menos de 14 anos após sua criação, o Google ultrapassa os U$ 160 bilhões, ou seja, quatro vezes mais que a oferta enviada à Yahoo! pela Microsoft.


Para se ter uma idéia disso, a Coca-Cola, empresa mais que centenária, teve seu valor de mercado avaliado em 2006 em U$ 67 bilhões.

Isso me lembra:

Money, get away.Get a good job with more pay and you're okay.Money, it's a gas.Grab that cash with both hands and make a stash.New car, caviar, four star daydream,Think I'll buy me a football team.